DETALHES DO PROJETO

VOLTAR
Desenvolvimento de Sistemas Adesivos Inibidores de Metaloproteinases da Matriz Extracelular
Linhas de pesquisa:
Propriedades Físicas e Biológicas dos Materiais Odontológicos e das Estruturas Dentais
Coordenador:
Rodrigo Varella de Carvalho
Situação:
Em andamento
Equipe:
Aloísio Oro Spazzin, Doutor Ataís Bacchi, Doutor Débora Alves Nunes Mario, Doutor Françoise Van de Sande, Doutor Graziela Oro Cericato, Doutor José Roberto Vanni, Doutor Lílian Rigo, Doutor Paula Cristine Ghiggi, Doutor Universidade Federal de Pelotas: Evandro Piva, Doutor e Fabrício Aulo Ogliari, Doutor
Duração:
Duração:
Desde
Projetos
Propriedades Físicas e Biológicas dos Materiais Odontológicas e das Estruturas Dentais

A inibição das metaloproteinases da matriz extracelular (MMPs) tem despertado grande interesse na pesquisa da longevidade das restaurações adesivas. O melhoramento dos sistemas adesivos, aliado ao aumento da estabilidade do colágeno formador da camada híbrida parecem ser pontos de extrema importância nesse sentido. Atualmente, a clorexidina (CLX) tem sido proposta como agente de pré-tratamento da dentina desmineralizada que pode aumentar a longevidade das restaurações adesivas através da inibição da atividade das MMPs. No entanto, a clorexidina não possui estabilidade nos sistemas adesivos, o que pode determinar um efeito inibitório passageiro e instável. Por outro lado, monômeros metacrilatos com potencial de inibição das metaloproteinases da matriz extracelular têm sido estudados para esse fim. A vantagem desses monômeros é que eles podem copolimerizar com os outros monômeros metacrilatos formadores dos sistemas adesivos. Por isso, o objetivo do presente projeto será avaliar o efeito do monômero trifluoroetil metacrilato na inibição da metaloproteinase da matriz extracelular 2. Para realizar o experimento, a metodologia de zimografia será usada. A metaloproteinase da matriz extracelular será extraída da dentina de dentes humanos extraídos. As amostras passaram por uma eletroforese e depois serão incubadas em contato com o monômero teste. Os resultados serão demonstrados através de géis de eletroforese, onde será avaliada a intensidade das bandas produzidas pelas enzimas. Assim, quanto mais fraca a marcação produzida no gel, maior o efeito inibitório produzido pelo monômero metacrilato testado em diferentes concentrações.