DETALHES DO PROJETO

VOLTAR
Criminologia e dano social: Afetivação da sustentabilidade para além do direito penal.
Linhas de pesquisa:
Mecanismos de Efetivação da Democracia Sustentável
Coordenador:
Marília de Nardin Budó
Situação:
Em andamento
Equipe:
Prof. Dr. Lorenzo Natali - Università Milano-Biccoca (UNIMI) Prof. Dr. Gregg Barak - Eastern Michigan University (EMU) Profa. Dra. Maria Beatriz Oliveira da Silva - Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Bolsista IMED: Karine Ágatha Bolsista voluntária: Natália Freiras Alunos do mestrado envolvido: Mariângela Matarazzo Fanfa Colognese
Duração:
Duração:
De 01/03/2016 até 28/02/2017
Projetos
Mecanismo de Efetivação da Démocracia Sustentável

Diante da realidade encontrada pelas pesquisas em Criminologia crítica de que o sistema penal é estruturalmente montado para criminalizar as condutas dos menos poderosos e imunizar os autores dos crimes que causam os maiores danos à humanidade e ao meio ambiente, a pesquisa tem por objetivo geral analisar quais são os limites epistemológicos da criminologia para estudar o dano social, com ênfase nos crimes de massa. Ao fazer dialetizarem o abolicionismo penal e a necessidade de compreensão e prevenção das condutas socialmente danosas provocadas pelos poderosos, incluídos Estados e mercados, a pesquisa escapa da tendência punitivista míope às relações estruturais de poder político e econômico. Após a pesquisa bibliográfica inicial, que buscará a teorização a respeito dos limites epistemológicos da criminologia na compreensão e prevenção dos crimes dos poderosos, a pesquisa parte para a análise de casos específicos de danos perpetrados pelo Estado e pelos mercados, no Brasil e em outros países, nos quais seja possível construir maneiras de lidar com eles sem apelar à lógica punitiva e inútil do sistema penal. Neste amplo espectro cabem desde os discursos legitimadores das mortes provocadas pelos sistemas penais, a partir das ações policial e militar nas cidades brasileiras, até a vitimização ambiental sofrida por moradores de regiões desoladas pela poluição do solo, do ar e da água.