NOTÍCIAS

23/04/2019
Maio Vermelho: Mês de prevenção e conscientização do câncer bucal

Por: Daniel Santos

() comentários

Odontologia da IMED se mobiliza para promover diversas ações de prevenção e conscientização

Certamente você já ouviu falar que a saúde começa pela boca. Não é mesmo? Pois, a boca é a maior cavidade do corpo a ter contato direto com o meio externo. A nossa boca é uma das principais portas de entrada para bactérias e outros microrganismos prejudiciais à saúde. Por isso, diversos cuidados devem ser observados para prevenção e aparecimento de doenças, entre elas o câncer bucal. Conforme dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) no ano passado ocorreram cerca de 14.700 novos casos de câncer de boca. Desse total, estima-se que 11.200 são homens e 3.500 mulheres. De acordo com o professor de Odontologia da IMED, Bernardo Agostini, esse tipo de câncer é uma neoplasia maligna que afeta lábios e estruturas internas, como gengivas, bochechas, céu da boca e língua. “Embora seja uma doença que pode ser evitada, ainda é considerado um problema de saúde pública global”, enfatiza.

 

Professor Bernardo Agostini: "Embora seja uma doença que pode ser evitada, ainda é considerado um problema de saúde pública global”

 

Com a intenção de mudar esse panorama e promover a prevenção, conscientização e diagnóstico precoce, o curso e mestrado em Odontologia da IMED promovem, durante o próximo mês, a segunda edição da Campanha Maio Vermelho.  A ação conta com o apoio do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, Liga Feminina de Combate ao Câncer, Liga de Odontologia Hospitalar e Diretório Acadêmico de Odontologia.  Diversas atividades estão previstas para ocorrer durante todo o mês. “Essas ações incluem capacitação para cirurgiões-dentistas da rede de atenção básica da 6ª Coordenadoria Regional de Saúde que engloba 62 municípios da região. São ações de prevenção e diagnóstico precoce nas Unidades Básicas de Saúde de Passo Fundo, bem como nas clínicas odontológicas da IMED. Também irão ocorrer ações diretas a pacientes que já estão em tratamento de quimioterapia e radioterapia pelo Hospital de Clínicas, Liga Feminina de Combate ao Câncer e Centro Assistencial à Criança com Câncer (CACC).  A abertura oficial da campanha ocorre no dia 7 de maio, no Auditório Central da IMED”, comenta a coordenadora do Mestrado em Odontologia da IMED, professora Graziela Oro Cericatto.

Professora Graziela Cericatto: "Leve uma vida saudável com uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes, mantendo boa higiene bucal e utilizando filtro solar nos lábios" 

 

Fatores de risco, sintomas e cuidados

Os principais fatores de risco relacionados ao câncer bucal são: consumo de álcool e tabagismo.  “Além das questões relacionadas a hábitos que podem parecer nocivos, o câncer bucal também está associado à imunossupressão, ao HPV e ao excesso de gordura corporal. Também é mais comum afetar homens brancos acima de 40 anos. A exposição solar excessiva também é um fator de risco”, enfatiza o professor Bernardo Agostini.

A professora Graziela enfatiza a importância de abandonar de vez o vício do cigarro e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas. “Leve uma vida saudável com uma alimentação rica em frutas, verduras e legumes, mantendo boa higiene bucal e utilizando filtro solar nos lábios. Além disso, um estudo recente ressaltou a importância das consultas de rotina com o cirurgião dentista pelo menos uma vez ao ano, sendo capaz de reduzir a taxa de cânceres de cabeça e pescoço a partir da detecção precoce da doença. ”, relata.

Como nos outros tipos de câncer, as chances de cura se tornam maiores quando ocorre o diagnóstico precoce. “A pessoa deve estar atenta para os seguintes sinais e ou sintomas: lesões na cavidade oral ou nos lábios que não apresenta melhora clínica e duram mais de 10 dias, não cicatrizam, sangram facilmente e vem crescendo a um tempo; manchas ou placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengiva, céu da boca, bochechas ou lábios e nódulos (caroços) no pescoço. Já em casos mais avançados, além das alterações físicas apresentadas a pessoa pode apresentar dificuldades para falar, engolir, mastigar e movimentar a língua. Lembre-se a saúde bucal faz parte da saúde geral e da qualidade de vida. Por isso esteja atento às mudanças em sua boca ou lábios e visite regularmente seu dentista ”, finaliza Agostini.

** Participaram da elaboração deste conteúdo os mestrandos: Leticia Lemes, Lara Dotto, Michele Portilio e Gabriel Oliveira

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia
Quero me inscrever
Fechar

Registrar Interesse

Se interessou pelo curso? Preencha os campos abaixo com seus dados e aguardo pelo nosso contato para mais informações.