NOTÍCIAS

16/07/2019
Direito da IMED Porto Alegre é reconhecido com conceito máximo pelo MEC

Por: Karen Vidaleti

() comentários

Resultado da avaliação foi oficializado por meio da publicação de portaria no Diário Oficial da União

Com a proposta de oferecer formação sólida no campo jurídico, visão atualizada e compreensão sobre a complexidade da realidade atual, o curso de Direito da IMED Campus Porto Alegre conquistou o reconhecimento com conceito 5 pelo Ministério da Educação (MEC). O resultado, já publicado em portaria no Diário Oficial da União, representa o grau máximo concedido pelo órgão federal. O reconhecimento é um processo fundamental para formação e continuidade de oferta do curso, sendo requisito obrigatório para a emissão dos certificados e diplomas dos alunos. A avaliação in loco ocorreu em dezembro de 2018, pela comissão avaliadora designada pelo Ministério da Educação (MEC). Nessa etapa, o curso foi avaliado por meio de indicadores divididos em três dimensões: organização didático-pedagógica, corpo docente e infraestrutura. 

Coordenadora da graduação, a professora Maria Cláudia Felten avalia que o reconhecimento com conceito máximo tem múltiplos significados, dentre os quais, alguns merecem destaque. “Significa que o projeto pedagógico do curso oportuniza que o aluno adquira conhecimento teórico e prático, alinhado a disciplinas clássicas do Direito, bem como às mais atuais, como direitos humanos, sociedade da informação, novas tecnologias. Significa que a IMED tem um ambiente acadêmico que acolhe o aluno e possibilita que ele viva o mundo acadêmico juntamente com seus professores, que por terem poucos alunos em sala de aula podem acompanhar o processo de aprendizagem e evolução de uma forma singular. Por fim, significa que o Direito da IMED permite que o aluno viva semestres intensos, dentro e fora de sala de aula. Por isso, somos 5! Por isso, temos muito orgulho deste 5”, comemora.

Para o vice-presidente acadêmico da IMED, William Zanella, o resultado representa a conclusão de um ciclo com excelência. “O reconhecimento do Curso com conceito 5 consolida um projeto pedagógico institucional, que tem pilares muito fortes na formação e na empregabilidade do aluno, na relação de professores altamente qualificados e engajados com a proposta, e em uma infraestrutura que dá suporte a todo esse projeto pedagógico. Essa conquista demonstra que o perfil do aluno que está sendo formado pela IMED é positivo para o mercado, valoriza os professores da instituição e mostra que a estrutura está adequada.” 

A estudante do 8º semestre de Direito Nycole Franciscatto Gomes integrou o processo  de visita in loco da comissão do MEC, a qual contou com conversas com avaliadores. Para a acadêmica, participar ao lado dos colegas de uma etapa de tamanha importância foi desafiador e, ao mesmo tempo, recompensador. “Foi muito satisfatório ter participado do reconhecimento do curso e da instituição, fazer parte disso nos mostra que somos importantes para a instituição. Quando aconteceu às reuniões, foram muito dinâmicas e transparentes. Só falamos o que, de fato, acontece e como acontece, e foi muito satisfatório receber a notícia que conseguimos o reconhecimento e nota 5. Fazer parte disto tudo foi muito importante”, comenta.

Equilíbrio entre teoria e prática

Eventos, visitas guiadas e estágios aproximam alunos da realidade jurídica 

 

O cuidado em aliar teoria e prática é demonstrado em sala de aula e em atividades externas, realizadas ao longo do semestre. O aluno é convidado, por exemplo, a participar de visitas guiadas  - Presídio Central, Fundação de Atendimento Socioeducativo (FASE) e Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSC) - e a assistir um dia de audiência na Justiça do Trabalho, além da possibilidade de participar de visitas jurídicas, a exemplo da realizada em Brasília, que, no próximo ano, deve levar os estudantes a Portugal. Outro exemplo é o estágio supervisionado, que pode ser cursado no Núcleo de Prática Jurídica (NUJUR) da IMED ou em órgãos conveniados (no atendimento à comunidade na Defensoria Pública da União; na Vara de Violência Doméstica de Porto Alegre; no CEJUSC do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul; no PROCON municipal). 

Soma-se a isso o corpo docente, formado por advogados, juízes, promotores, defensores, advogados públicos, “com a intenção de proporcionar que o aluno tenha acesso a todas as profissões jurídicas, facilitando a escolha de sua carreira e de sua empregabilidade futura”, comenta a coordenadora Maria Cláudia Felten.

Perfil profissional

A Graduação possibilita formação profissional adequada ao exercício da advocacia e das carreiras públicas. Respeitando os respectivos processos seletivos, o egresso pode atuar na Advocacia Privada (Advogado), Advocacia Pública (Procurador), Defensoria Pública (Defensor), Ministério Público (Promotor), Magistratura (Juiz Estadual e Federal), Segurança Pública (Delegado), Docência Superior (Professor/Pesquisador) e Funcionalismo Público (Concursos Públicos).

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia
Quero me inscrever
Fechar

Registrar Interesse

Se interessou pelo curso? Preencha os campos abaixo com seus dados e aguardo pelo nosso contato para mais informações.