NOTÍCIAS

16/04/2019
O direito à cidade e o mercado imobiliário

Por: Paula Steffenon

() comentários

Seminário de Arquitetura e Urbanismo da IMED debate os contrastes no espaço urbano. O evento acontece até quarta-feira

“O direito a cidade é o que resume o direito que todos deveriam ter, de viver em uma cidade que funcione para todos”, disse o Dr. João Sette Whitaker, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, na abertura do ciclo de palestras do Seminário de Arquitetura e Urbanismo (SAU), na noite de segunda-feira (15), na IMED. Nesta edição, o SAU, que acontece até quarta-feira (17), debate os contrastes existentes no espaço urbano, sob a perspectiva do direito à cidade e o mercado imobiliário, abordando temas como o Estatuto da Cidade, função social do solo urbano, habitação, entre outros.

Whitaker defende que debater o direito à cidade e o mercado imobiliário significa refletir sobre as cidades brasileiras, sendo este o objeto de estudo de uma Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. “Tendemos a resumir a Arquitetura e Urbanismo a uma visão profissional, como se fosse só formar arquitetos que serão capazes de projetar casas para as pessoas, mas são poucas as pessoas que têm condições de pagar um arquiteto, inclusive de ter a sua própria casa. Se olharmos para as cidades hoje, há um déficit habitacional tremendo, seis milhões de famílias que não tem onde morar e isso se reflete em todas as cidades do Norte ao Sul do Brasil, claro que de maneira mais intensa nas grandes metrópoles e de maneira mais intensa nas cidades do Norte e Nordeste, mas também nos estados do Sul”, destacou.

Antes do evento, na tarde de segunda-feira (15), Whitaker acompanhou um grupo de estudantes, em uma das oficinas do SAU, que visitou alguns bairros de Passo Fundo entre eles as ocupações habitacionais Chácara Bela Vista e Pinheirinho Toledo. Nestes locais residem cerca de 300 famílias que vivem com mínimas condições de saneamento. “ Então isso mostra que se a gente quiser refletir sobre essa questão urbana, a gente precisa enxergar as cidades e discutir essas temáticas. A cidade de Passo Fundo, por exemplo, tem 25% da população, ou seja, em torno 50 mil pessoas de uma população de mais de 200 mil, que vivem em condições de precariedade”, afirmam.

Porfessor Dr. João Sette Whitaker palestrou na noite de segunda-feira (15), na IMED


Nesse contexto, o mercado imobiliário é visto muitas vezes como o vilão, mas para Whitaker, o mercado apenas cumpre o seu papel visando o lucro. Para ele, o maior problema é a falta de políticas que regulem esse mercado. “O vilão da história é muito mais o estado que não regula a atuação do mercado, do que do mercado em si. O mercado tem que ser regulado, precisa dar as regras para falar o que ele pode e o que não pode fazer. No Brasil, a propriedade da terra e o lucro sobre a comercialização da terra com projetos imobiliários é feita de uma maneira absolutamente livre com pouco controle, então, nós ainda estamos engatinhando no poder dos planos diretores, das leis de zoneamento e todos esses instrumentos que deveriam dar aos municípios a capacidade de regular essa cidade para que ela seja mais igualitária, permitindo acesso a casa para todos”.

 

A professora Me. Rafaela Citron, uma das organizadoras do SAU 2019, reforça a importância do debater o direito à cidade frente ao mercado imobiliário com os futuros arquitetos e urbanistas. “A preocupação em torno do direito à cidade e o seu contraste com relação ao mercado imobiliário precisa ser discutida com os nossos alunos. Queremos conscientizá-los de que as cidades têm uma função social para que os estudantes consigam ter pensamento crítico no momento em que forem para o mercado de trabalho. O objetivo é que eles entendam o impacto que os seus projetos terão na cidade e que a arquitetura não pode ser vista como algo isolado, mas sim parte de um contexto urbano desigual”, explica Rafaela.


A programação do SAU inclui palestras, mesas redondas e oficinas e segue até a próxima quarta-feira, dia 17 de abril.

Confira a programação AQUI.

** Fotos: Paula Steffenon/ IMED e Rafaela Citron/IMED

 

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia
Quero me inscrever
Fechar

Registrar Interesse

Se interessou pelo curso? Preencha os campos abaixo com seus dados e aguardo pelo nosso contato para mais informações.