Comunicação

Notícias

VOLTAR
29/05/2019
O papel do engenheiro de produção como um solucionador de problemas

Por: Francine Tiecher

() comentários

Área de atuação não se restringe apenas para a indústria, mas sim para diversos segmentos do mercado

 

As organizações de todos os segmentos são estruturas compostas por processos, os quais tem o intuito de entregar produtos ou serviços com o maior valor possível para seus clientes. Sendo assim, é exatamente para isso que existe o engenheiro de produção, um profissional com a formação básica das engenharias e com as especificidades das áreas de negócio.

Em geral, engenheiros de produção estão preparados para mapear, organizar e melhorar processos de toda natureza. Aliado a isso, ele traz consigo um ferramental aplicável às diversas etapas de um processo. É natural a ele a competência de “Resolvedor de problemas complexos” e ele faz uso de ferramentas, como Isihikakwa, mapeamento de fluxo de valor, FMEA (Failure Mode E A), entre outros para alcançar a solução ótima de problemas.

Desta capacidade de aliar ferramentas a otimização dos processos surgiram métodos extremamente aplicáveis como o MASP (Método de análise e solução de problemas), DMAIC (Define, Measure, analyze, Improve, Control). Que são metodologias aplicáveis à solução prática de problemas complexos.

“A partir desta capacidade técnica do engenheiro de produção, ele é capaz de otimizar processos e trazer melhorias para empresas de todos os segmentos. Tradicionalmente, a engenharia de produção é associada a processos de manufatura, onde ela é altamente aplicável e foi o local de aplicação das ferramentas tradicionais de produção por anos. No entanto, com o passar do tempo o valor entregue pelo engenheiro de produção começou a ser visto nas mais diversas áreas do mercado. Hoje não é estranho encontrar engenheiros de produção atuando no setor hospitalar, financeiro e de serviços”, destaca o professor do Curso de Administração da IMED, Anderson Amorin, que possui mestrado em Engenharia de Produção e atualmente realiza doutorado na área.

Anderson explica quais os setores, além da indústria, que requisitam profissionais com formação na área de Engenharia da Produção. “Hoje este profissional é altamente requisitado na área de gestão e operações de grandes instituições de saúde no mundo, atuando diretamente na melhoria e otimização de processos internos de hospitais por exemplo. Da mesma maneira eles são altamente requisitados no setor financeiro, onde é capaz de aliar a capacidade matemática do engenheiro com as ferramentas de engenharia econômica e gerenciamento de riscos, onde é capaz de atuar diretamente na melhoria de processos e modelagens econômicas e financeiras. Assim como estes dois segmentos, o engenheiro de produção pode atuar em outros diversos segmentos, buscando a melhor entrega possível de produtos e serviços”, frisa.

Obviamente, ele ainda é extremamente importante em processos produtivos tradicionais, como na manufatura, porém hoje ele também deve ser capaz de entender as mudanças tecnológicas e aplicar features da indústria 4.0 em processos tradicionais, alcançando um nível altíssimo de melhoria e otimização de processos produtivos. Este profissional é totalmente alinhado com as habilidades e competências necessárias para o futuro, sendo ele um otimizador de processos e resolvedor nato de problemas.

 

Vestibular IMED

A IMED está com inscrições abertas para o Vestibular de Inverno 2019. Para o Curso de Engenharia de Produção, ofertado em Passo Fundo, são oferecidas 45 vagas, no período noturno, e 45 vagas no período diurno.

A prova ocorrerá no dia 01 de junho de 2019, com início às 8h e 30min e término às 12h e 30min. As inscrições devem ser realizadas no site vestibular.imed.edu.br, até às 23h59min de hoje (29 de maio de 2019).

CLIQUE AQUI e conheça mais sobre o curso.

 

comentários sobre esta Notícia