Comunicação

Notícias

VOLTAR
29/01/2020
O desafio de restaurar o dente após o tratamento de canal

Por:

() comentários

Vários fatores podem influenciar o desempenho clínico de dentes com tratamento endodôntico

Uma rápida pesquisa no dicionário e você verá que a palavra ‘endo’ quer dizer dentro/interno. Já a palavra ‘dontia’ significa dente. Isso ajuda a entender de forma bem simples o que faz essa área da odontologia. Um dos problemas mais frequentes encontrados pelos cirurgiões-dentistas é o tratamento restaurador de dentes tratados endodonticamente com extensa destruição coronária, cuja recuperação funcional gera desafios.

“Vários fatores podem influenciar o desempenho clínico de dentes com tratamento endodôntico restaurados através de uma combinação de pinos intracanais, coroas ou restaurações diretas. Isso pode estar relacionado ao número de paredes remanescentes, localização do dente, fatores locais como instabilidade oclusal, fatores do paciente como hábitos parafuncionais e risco de cárie, além dos materiais do pino e da coroa, e aos cimentos utilizados. Ainda, o modo de falha da restauração, isto é, fratura radicular, descolamento do pino e fratura da coroa também tem efeito direto na sobrevivência do dente” explica o professor do Mestrado em Odontologia da IMED, Ataís Bacchi.

Uma das linhas de pesquisa do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Odontologia (PPGO) da IMED, possui a intenção de explorar materiais e técnicas para restaurações diretas e indiretas de dentes que passaram por tratamento de endodontia através de estudos laboratoriais e acompanhamentos clínicos. Exemplos destes trabalhos envolvem sistemas de pinos e coroas livres de metal, endocoroas sem utilização de pinos, restaurações indiretas com confecção otimizada pela tecnologia CAD/CAM e também restaurações diretas que proporcionem o máximo de conservação das estruturas dentais remanescentes”, finaliza o professor.

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia