Comunicação

Notícias

VOLTAR
29/06/2020
Ferramentas aplicadas como facilitadoras da pesquisa em Psicologia

Por: Francine Tiecher

() comentários

Dr. Vinícius Ferreira, docente do PPGP, desenvolveu duas ferramentas que avaliam sintomas de ansiedade e estresse e que podem ser aplicadas à pesquisa científica

 

Alguns dos sintomas que são queixas bastante comuns quando as pessoas buscam atendimento psicológico são o estresse e a ansiedade. A avaliação de ambos fatores é importante no processo de conhecimento do profissional para entender como eles se apresentam, bem como auxiliam a avaliar como os sintomas se modificam durante o tratamento psicológico.

O professor do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia da IMED (PPGP) Dr. Vinícius Thomé Ferreira desenvolveu duas ferramentas para avaliar esses sintomas. O docente explica que, além do uso clínico, esses recursos podem ser aplicados no desenvolvimento de pesquisas e na avaliação dos sintomas em outros contextos, como em empresas e escolas, por exemplo.

Chamados de LIS-A e o LIS-E, os dois questionários possuem questões objetivas, ou seja, de marcar, que avaliam a ansiedade e o estresse, respectivamente. Os resultados dão indicativos dos sintomas, apontando se estão na faixa esperada ou se estão muito altos no momento da avaliação.

O desenvolvimento final dos testes contou com a colaboração tanto de alunos do mestrado quanto de acadêmicos de graduação da IMED. “O LIS-A e o LIS-E já foram utilizados em várias dissertações e pesquisas de conclusão de curso, o que torna robusta a formação acadêmica e de pesquisa tanto dos alunos do mestrado quanto os da graduação. Para os mestrandos, se constituem em ferramentas com bons recursos de pesquisa, podendo ser aplicados e analisadas com facilidade”, frisa Vinícius.

O Mestrado em Psicologia da IMED tem como objetivo contribuir com o avanço da psicologia como ciência e profissão, além de capacitar para o exercício da docência, da pesquisa e da gestão do ensino superior. Suas atividades enfocam o aprimoramento da visão crítico-reflexiva e oferecem um espaço multidisciplinar para a geração e troca de conhecimento acadêmico e científico, estimulando a interdisciplinaridade e o intercâmbio com outras instituições e a sociedade.

CLIQUE AQUI e saiba mais. As inscrições vão até o dia 31 de julho.

Suas áreas de concentração – “Organizações, Avaliação e Intervenções Psicossociais” e “Saúde, Avaliação e Intervenções” – permitem a realização de pesquisas sobre o comportamento que sejam ao mesmo tempo diferenciadas, qualificadas e específicas, sem perder o potencial de diálogo com as outras ciências, levando em conta a complexidade do comportamento.

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia