Comunicação

Notícias

VOLTAR
05/05/2022
Em alta no South Summit Brazil, educação, ESG e geração de impacto

Por: Karen Vidaleti

() comentários

Confira insights e temas em destaque no primeiro dia do evento, que é um dos maiores sobre inovação no mundo

 

Um dos maiores eventos de inovação do mundo, o South Summit deu largada à edição brasileira, a primeira a ocorrer na América Latina, movimentando mais de 10 mil pessoas no Cais Mauá, em Porto Alegre. O evento busca fomentar negócios dentro do ecossistema e promover conexões entre startups, grandes empresas e fundos de investimentos mundiais, e por isso, networking e conteúdo são os pontos altos da programação. 

Referência em inovação na área de educação, a IMED participa do evento, acompanhando e conectando os principais temas da programação à comunidade acadêmica. Confira, a seguir, os destaques do primeiro dia. 

Crédito: Marcos Nalgestein/Agência Preview

 

Educação de impacto

O poder do conhecimento para desenvolver negócios, pessoas e a sociedade como um todo permeou grande parte das atividades na agenda desta quarta-feira (04), de bate-papos com representantes de startups a executivos de grandes empresas.

Entre os que trouxeram o tema à tona esteve o empreendedor e apresentador de TV, Luciano Huck, que marcou presença na abertura oficial, trazendo, além das suas experiências e percepções, o projeto social da Tia Lolo, do município de Viamão, uma iniciativa educacional que impacta crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

Ao longo de sua fala, Huck destacou o valor da educação e a importância de compartilhar conhecimento para o desenvolvimento do país e das pessoas, de forma a gerar oportunidades iguais para todos. “A vida da gente não é sobre o que se junta, mas sobre o que se espalha”, enfatizou.

Crédito: Sidnei Schirmer/Agência Preview

 

Negócios mais conscientes

Responsabilidade ambiental, social e governança, temas que formam a sigla ESG, estiveram em alta durante painéis e pitches, no primeiro dia do evento. O vice-presidente do conselho do Grupo Boticário, Artur Grynbaum, foi categórico ao defender que “ESG é negócio”. 

Para ele, é preciso buscar o equilíbrio entre o valor gerado aos stakeholders, garantindo lucro, longevidade, consistência e impacto. “Quando você gere melhor o seu negócio, contribui melhor com a sociedade e o meio ambiente”, afirma.

 

Empresas diversas e empáticas

“A próxima geração de talentos espera que as empresas tenham empatia e sejam inclusivas. Nós precisamos descobrir como tornar os públicos diversos, que fazem parte da comunidade de consumidores e têm muito a dizer, parte do nosso negócio”. A frase é de Erik Day, vice-presidente na divisão Small Business da Dell Technollogies.

Em sua participação, falou sobre a disputa por talentos, alta rotatividade e o desenvolvimento de pessoas como forma de melhorar a capacidade de tecnologia. “Não tem nada pior do que turnover. Preciso assegurar que a cultura esteja no cerne dos planos de negócios. Quanto mais empatia, mais tempo as pessoas irão permanecer com você e melhores serão os resultados para o negócio.”

Quando se trata de buscar investimentos, o tema da diversidade e inclusão também entra em pauta. Esse é um dos ingredientes por trás do sucesso em venture capital, para Carolina Strobel, COO da Redpoint eVentures.

Equipes diversas permitem pluralidade de visão e vivências, otimizando os resultados de uma startup. “Não são só os grandes impactos, mas também os pequenos impactos que nós criamos na vida das pessoas. Não é apenas o quanto dinheiro estamos gerando, mas quem está sendo afetado”, observou.

 

Ressignificando o sucesso

Carolina também questionou o que se entende por sucesso no universo do venture capital. Na opinião dela, algumas startups não precisam levantar muito dinheiro, não precisam ser unicórnios. “Devemos mudar a forma como enxergamos o sucesso para a compreensão de que cada startup tem a sua vocação. A execução perfeita é a chave para o sucesso”.

Crédito: Marcos Nalgestein/Agência Preview

 

Sobre o South Summit

A IMED continua acompanhando o South Summit até a sexta-feira, 06. De agrotecnologia à sustentabilidade, o evento tem em sua essência o estímulo ao ecossistema de inovação da América Latina por meio de uma conexão ativa e colaborativa com corporações internacionais. O evento é realizado desde 2012 em Madrid, na Espanha, e é reconhecido como uma plataforma global para inovação e conexões entre os principais participantes do ecossistema de negócios. 

Sozinha, a iniciativa já movimentou cerca de USD 8.2 bilhões em investimentos. Sua última edição reuniu mais de 20 mil participantes, destacando-se como o principal encontro de conexão entre startups, empresas e fundos de investimentos mundiais na Europa. A edição brasileira conta com a correalização do Governo do Estado do Rio Grande do Sul e IE University.

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia