Como Logar?

Comunicação

Notícias

VOLTAR
07/08/2018
Acadêmicas de Medicina Veterinária realizam primeiro acompanhamento de cirurgia equina

Por: Francine Tiecher

() comentários

O convênio institucional firmado entre a IMED e o Grande Porte Centro Cirúrgico Equino, dá suporte às atividades de vivência profissional dos alunos do curso de medicina veterinária. A empresa realiza diversas atividades relacionadas ao atendimento específico de éguas e cavalos, tais como cirurgias eletivas (castrações, neurectomia, desmotomia, tenotomia, artroscopia, herniorrafia), cirurgias de emergência (cólica, lacerações e fraturas), possui um atendimento de emergência 24 horas, além de oferecer serviços de aluguel do bloco cirúrgico para médicos veterinários realizarem suas cirurgias.

Nesse sentido, nesta terça-feira (07/08), as acadêmicas do 2º e 4º níveis do Curso de Medicina Veterinária da instituição, Ana Carolina Lucca La Corte, Laís Batista, Emily Milessi, Elisa Franchini e Nicole Berton acompanharam a primeira cirurgia equina na estrutura, subsidiada a partir da parceria.

O procedimento realizado foi uma desmotomia do check, ou seja, um procedimento para correção de um desvio angular do membro do potro, em que é feito um corte do ligamento para “soltar” os tendões e reposicionar a pata do animal no local correto.

Após a cirurgia, é necessário que o animal passe pelas fases de fisioterapia e alongamento para que haja sua recuperação total. Essas cirurgias podem ser realizadas em equinos de qualquer faixa etária, dependendo do caso da enfermidade.

Foto: Grande Porte Centro Cirúrgico Equino

 

Para o professor Tiago Zart de Arruda, que realizou o procedimento de anestesia do potro e acompanhou a cirurgia realizada pela médica veterinária Taline Scalco, é fundamental que os alunos da área participem desse tipo de atividade prática desde os semestres iniciais da graduação, pois isso interfere em seu futuro desempenho profissional. Ele comenta também que o contato com as especialidades são um divisor de águas, pois são nesses tipos de ambiente de estágio que os estudantes colocam a “mão na massa”, onde podem pensar em desistir ou não da futura profissão.

“Todo estágio é bem-vindo, tanto para que te diga se você quer essa área ou se você não quer. É comum receber estagiários que acabam desistindo da área pela rotina, pois não há como prever os problemas que aparecem na emergência e a decorrência dos procedimentos devido à diversas variáveis. Os que acabam gostando e decidem seguir nessa especialidade, quanto mais cedo tiverem contato com a realidade prática profissional, é melhor, pois se adquire mais experiência, ainda mais em clínicas e centros cirúrgicos. Por ser um segmento que chamamos de “ponta final”, nunca aparecerão casos fáceis. 

Os animais que chegam até os centros cirúrgicos já passaram pela avaliação dos médicos veterinários, já foram submetidos a outros tratamentos, e o encaminhamento para a cirurgia acaba sendo o último recurso utilizado. Por ser a última tentativa do animal, tem que se estar pronto e preparado para dar uma resposta. É um ambiente de pressão, há muita cobrança, pois há risco de os animais morrerem, e o proprietário cobra um resultado positivo, principalmente pelo valor que se pode chegar um cavalo”, explica.

 

Para Nicole, uma das acadêmicas que acompanhou a cirurgia “é muito importante poder aplicar a teoria com a prática, pois agrega muito na nossa caminhada acadêmica. A experiência é incrível!”, destaca.

A partir do convênio, os alunos da IMED já acompanharam outros procedimentos no Centro Cirúrgico: um início do tratamento de laserterapia, com uma fisioterapeuta animal, e exames clínicos de endoscopia e raio-x.

 

Vivência profissional e práticas veterinárias

No ano de 2017, o Curso de Medicina Veterinária da IMED institucionalizou seu projeto de extensão “Vivência profissional e práticas veterinárias para estudantes de Medicina Veterinária”. Ele tem como objetivo proporcionar aos acadêmicos, maior inserção em atividades práticas ao longo da graduação, uma vez que essa oportunidade concretiza a aplicabilidade dos conteúdos abordados em sala de aula, durante todo o curso.

“Foi por meio desse projeto e do convênio que estão sendo oportunizados aos nossos estudantes a vivência de um serviço altamente especializado e com alto valor agregado, possibilitando assim uma melhor capacitação dos nossos estudantes para o mercado de trabalho”, frisa o Coordenador do Curso de Medicina Veterinária da IMED, Dr. Deniz Anziliero.

Os estudantes da IMED participam desde o primeiro semestre da graduação desse tipo de atividade, oferecendo contato com a realidade da área.

 

**Foto: Francine Tiecher / Comunicação IMED

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia